Violência doméstica e guarda de menores: o que é o ‘Justice gap’ e a importância das redes de apoio

Fique por dentro, Leia Mais, Mais Lidas, Utilidade Pública 11 de novembro de 2020

O contexto da migração mudou consideravelmente nas últimas décadas. No eixo América do Sul e Europa, acompanhamos diferentes tipos de fluxos migratórios: nos anos 70 e no início dos 80, a migração involuntária era relacionada ao ambiente político instável e às ditaduras dos países da América Latina como o Chile e o Peru. Nos anos 90, o movimento de populações foi motivado pelas rachaduras nas economias do Sul e o desejo de uma estabilidade financeira nos países de destino. A migração da população brasileira foi influenciada por essas duas realidades e se adaptou aos desafios e à evolução dos processos de integração.

Dentro dessa perspectiva, é inegável que a migração também reformulou as relações interpessoais e as células familiares. Apesar da violência de gênero ser indissociável de qualquer característica de raça, classe, e estatuto social, as políticas públicas e as leis existentes no tocante da ajuda emergencial, assistência social imediata e apoio às vítimas falharam em proteger todas mulheres da mesma maneira e afetaram (e têm afetado) as mulheres migrantes de maneira desproporcional. Entendendo essa situação de desvantagem, muitas delas decidem fugir de suas relações abusivas e retornar ao seu país de origem. Entretanto, quando essa mulher deve não somente se proteger mas também aos seus filhos, isso não é uma alternativa sempre possível.

 

Devido a um acordo internacional chamado Convenção de Haia no seu protocolo 28, as mulheres se veem obrigadas a buscar ajuda e apoio  no país da residência dos filhos. Todos os direitos relativos à guarda, à visita e às pensões devem ser resolvidas no local onde a criança mora. Entretanto, existe uma exceção à essa regra: situação de grave risco. Essa ressalva pode ser aplicada nas situações de abusos físicos e psicológicos – fatores presentes nos casos de violência doméstica. Entretanto, a maioria das políticas nacionais e as decisões judiciais ignoram a necessidade de assegurar proteção imediata às vítimas e preferem retornar os filhos à sua residência habitual. Esse descaso das forças de ordem e dos juízes é sistêmico e estrutural, pois a maioria das decisões são baseadas em estereótipos de gênero e da migração que “etiquetam” de maneira negativa as mulheres brasileiras. Essa atitude se configura como ‘Justice gap’ e se torna uma segunda forma de revitimização e discriminação de gênero em uma manifestação institucional.

 

Por esses motivos, a Revibra Europa lançou uma campanha chamada “Mães brasileira e Haia 28 –  o que você precisa saber” em maio deste ano. O intuito é sensibilizar as mães vítimas de violência doméstica sobre os riscos e ameaças dessa convenção internacional e prevenir que muitas delas sejam afastadas de seus filhos e possivelmente, criminalizadas por suas ações desesperadas. Juntamente com essa iniciativa, a organização reforçou sua presença no Reino Unido, disponibilizando um serviço de apoio psicológico emergencial às vítimas de violência de gênero e criando uma rede de apoio que guia e protege as mulheres brasileiras em situações vulneráveis no país. Para a Revibra, é importante trazer uma reflexão holística e transversal à violência doméstica: as soluções não podem ser somente assistenciais ou jurídicas, elas devem também ser emocionais e sociais e proporcionar uma integração evolutiva para essas mulheres migrantes nos países onde vivem. Por esse motivo, é tão importante ter um grupo de escuta e ajuda perto dessas sobreviventes, que as auxiliarão a sair de relacionamentos tóxicos mais empoderadas e fortalecidas. Como descrito em nosso vídeo  lançado no último dia das mães: você não está sozinha, e estamos aqui para te ajudar!

 

Contatos para ajuda:

Agendamentos através desse link;

Para casos urgentes, basta enviar um e-mail para revibraeuropa@gmail.com –  cai como mensagem automática em nossos telefones. Retornamos imediatamente às vítimas.

 

Juliana Wahlgren/Marcia Baratto/Talitha Vaz TenórioRevibra Europa 

Desirenhos por Raquel Moraes

Leave a Reply

Popular

  • Como pedir visto de autônomo para os Est...

    by on 5 horas ago - 0 Comments

    Atenção comunidade ítalo-brasileira!  Caso tenha perdido a esperança de entrar aqui no país em busca de qualidade de vida ou trabalho, vim trazer uma ótima alternativa. Se você já reside aqui no país mas pretende buscar outras experiências, essa dica também é para você.   Hoje vamos falar da cidadania italiana para imigrar para os […]

  • Economia: o que é o Budget e o que esper...

    by on 11 horas ago - 0 Comments

    Nesta quarta-feira, dia 3, o Chanceler, Rishi Sunak, irá informar o Budget de 2021 para o país e quais pontos serão abordados. Espera-se que o Budget de 2021 seja feito cautelosamente devido aos efeitos econômicos da pandemia.   O que é o Budget? Budget, em tradução livre, significa ‘orçamento’. Todos os anos, o chanceler do […]

  • Confira 70 cursos gratuitos do Google

    by on 2 de março de 2021 - 0 Comments

    São em diversas áreas, dentre elas: Marketing Digital, Tecnologia da Informação e Desenvolvimento de carreira. Essa é uma boa oportunidade de poder estudar on-line e ainda ter certificado.   Em Marketing Digital são os cursos: Fundamentos do Marketing Digital Leve sua empresa para a Web Garanta que os clientes encontrem você on-line Promova sua empresa […]

  • Evento “Ser Trans – Desafios Conquistas”...

    by on 2 de março de 2021 - 0 Comments

    Em 2016 o Brasil já estava no topo do ranking de países com mais registros de homicídios de pessoas transgêneras segundo relatório da TGEU, uma ONG sediada na Alemanha e dedicada a luta dos direitos e bem-estar de pessoas trans na Europa e na Ásia.  Mas nos últimos anos o Brasil não tem sido o […]

  • Google oferece capacitação profissional ...

    by on 1 de março de 2021 - 0 Comments

    O Google está oferecendo gratuitamente dois programas de capacitação para mulheres. Os minicursos, que ocorrerão virtualmente no dia oito de março, Dia Internacional da Mulher, já estão com as inscrições abertas. O programa Cresça com o Google para Mulheres que Querem Empreender tem como objetivo apresentar conteúdos e dicas práticas sobre liderança feminina, marca pessoal, […]

×
Portal Londres