Em situação emergencial, Itália chega a um consenso sobre a situação de mais de 500 mil imigrantes.

Economia/Política, Fique por dentro, Mais Lidas, Utilidade Pública 13 de maio de 2020

Em situação emergencial, Itália chega a um consenso sobre a situação de mais de 500 mil imigrantes.

O acordo beneficiará trabalhadores rurais, ligados a serviços como cuidadores de idosos, pessoas com problemas de saúde e empregada doméstica.
Como se não bastasse toda a situação de preocupação e angustia diante da pandemia do Corona vírus, outra preocupação tem tirado o sono de muitos imigrantes na Itália: a de quem teve seu período de estadia no país expirado. Mas de acordo com o governo italiano, essa situação tem prazo de validade, pelo menos para algumas áreas como: trabalhadores rurais, empregadas domésticas ou ainda cuidadores de idosos e de pessoas que estão convalescendo.
Partidos que formam o governo italiano chegaram a um acordo sobre esse grupo de pessoas que pode chegar a quinhentas mil pessoas. O acordo, que ainda não é oficial, confirma o compromisso de dar uma permissão de estadia temporária de seis meses extra, para o imigrante procurar emprego, desde que ele consiga comprovar ter trabalhado em algum desses setores: cuidadores, trabalhos domésticos ou rurais. Em situação emergencial, Itália chega a um consenso sobre a situação de mais de 500 mil imigrantes.
No caso do estrangeiro que está empregado, a solicitação deve ser feita por ele, juntamente com o patrão. Essa solução veio de várias discussões e pressões do Ministério da Agricultura. De acordo com a ministra da Agricultura, Teresa Bellanova, a regularização de cerca de quase 600 mil imigrantes é fundamental para garantir a mão de obra no campo, que precisa do trabalhador. Ela chegou a frisar sobre a importância da rapidez dessas medidas para que o caos não se instale no campo, sem o imigrante. Essa medida favorece muitos brasileiros que se encontram nessa situação .Em situação emergencial, Itália chega a um consenso sobre a situação de mais de 500 mil imigrantes.
Essa ação faz parte de um grande pacote de medidas, “Decreto Rilancio” que prevê a aplicação de 55 bilhões de euros, para socorrer setores que estão em crise como indústria, comércio, esporte e turismo.

Texto por Juliana Albanez

Deixe seu Comentário

×