A palavra FEMINISMO

Economia/Política, Fique por dentro, Mais Lidas, Mais recente, Sem categoria 25 de janeiro de 2020

Por que é tão difícil para muitas mulheres se reconhecerem como feministas e/ou até se referirem a si mesmas como tais?
A resposta é simples: a palavra feminismo ainda permanece um tabu em muitas sociedades e possui um significado pejorativo.

O processo de se apropriar da identidade feminista é evolucionário, o que significa que cada indivíduo tem seu tempo específico dentro desse processo. Muitas mulheres e homens ainda não estão prontos para se identificarem como tal. Um reconhecimento coletivo deve chegar o mais rápido possível, pois precisamos cada vez mais de mulheres e homens que entendam que as liberdades as que a maioria das mulheres possuem no dia a dia contemporâneo são fruto de conquistas advindas de movimentos feministas de gerações anteriores.

O ser Mulher e suas crenças limitantes
Cresci no nordeste do Brasil, numa educação conservadora dentro e fora de casa. As principais lições que tentaram me ensinar neste cenário foram a de conseguir um marido e não sair de casa com saia curta. Em um determinado momento da adolescência, percebi que certas garotas, principalmente aquelas que tinham uma liberdade maior em relação ao próprio corpo e desejo sexual, sofriam discriminações e apelidos. Os adjetivos eram os mais pejorativos possíveis: “puta”; “piriguete” e por aí vai. O mais triste, nessa circunstância, era que as principais perpetradoras do bullying direto eram as próprias mulheres – mulher falando mal de mulher, quem nunca passou por uma situação assim? Será que dá para uma mulher confiar em outra mulher?
A resposta para essa última pergunta é SIM. Se você é mulher e em algum momento de sua vida alguém lhe falou que não dá para confiar em outra mulher, tenho certeza que você nunca procurou entender essa colocação. A verdade é que não existe raciocínio lógico por trás desse pensamento, afinal somos todos humanos e sujeitos vivenciar inseguranças independentemente do gênero.
Esse pensamento, como muitos outros, não passa de uma crença limitante que colocam na nossa cabeça desde que somos pequenas – como se vivêssemos em constante competição com as demais mulheres. Porém, a partir do momento que você, mulher, quebra essa crença, você tem muito a ganhar.
Uma palavra que está na “moda” e vem ganhando peso em movimentos feministas, é Sororidade, cujo significado “remete ao coletivo feminino, ou seja, sentimento de irmandade e união entre mulheres” – ou seja, sentimento de que juntas somos mais fortes. Se agirmos como um coletivo, imagine o quanto o mundo iria mudar (e ganhar). Mulher apoiando Mulher.
Outra crença limitante que afeta a maioria das mulheres em diferentes sociedades, é a dificuldade de se reconhecerem feministas e se auto intitularem como tais. Retomando o questionamento do início desse artigo, o Feminismo é um exemplo de palavra tabu. Essa palavra não é apenas “Tabu” na língua portuguesa ou na cultura brasileira – é uma palavra que internacionalmente gera polêmica e traz desconforto.

Mas, o que é Feminismo?
A palavra feminismo surgiu no final do século 19 e foi cunhada por um homem chamado Charles Fourier, para se referir ao movimento de mulheres que estavam em busca de terem seus direitos básicos reconhecidos. Fourier era um grande adepto da emancipação feminina e ele a julgava essencial para sociedades futuras. Desde então, as mulheres em diferentes gerações aderiram a essa nomenclatura e um símbolo foi criado.
O movimento feminista surgiu junto com os movimentos Humanistas e Igualitaristas – os quais buscam levar adiante a igualdade humana e defendem que o ser humano é o centro de tudo, inclusive o de suas escolhas e crenças. A relação entre os três movimentos mencionados (feminismo, humanismo e igualitarismo) é bastante íntima, andam lado a lado, pode-se dizer que são ramificações da mesma ideia. Porém, o feminismo fala mais claramente da pontuação de gêneros. Afinal é justo pontuar que somos diferenciados a partir do nosso nascimento por subcategorias como gêneros, raças e culturas – e desde que a história é registrada, um desses gêneros teve suas liberdades menos respeitadas em relação ao outro.

O significado literal de feminismo é: o movimento que busca garantir ou garante a igualdade de oportunidade e escolha – sem diferenciação entre os sexos. Em outras palavras, igualdade de gênero. Também pode ser definido como: a doutrina que preconiza o aprimoramento e a ampliação do papel e dos direitos das mulheres na sociedade.

Por conta da conotação negativa associada ao significado da palavra machismo (cujo significado retrata um sistema onde o homem possui superioridade em relação à mulher) e pela semelhança gramatical, muitos associam o feminismo como o contrário semântico de machismo e “torcem o nariz”. Mas literalmente, o antônimo de machismo é femismo, e essa palavra não é difundida, o que confunde a maioria das pessoas.
Além da confusão semântica – que muito contribui para o preconceito que paira sobre o feminismo – existe ainda o peso histórico e sociocultural. O feminismo prega por uma alteração estrutural social, em que, ambos os sexos devem possuir as mesmas oportunidades, direitos e deveres nas esferas pública e privada. A maioria das sociedades modernas se estruturou em cima de bases onde cada gênero possui um papel socialmente pré-determinado. Essa estrutura é conhecida como patriarcado – o homem é o provedor financeiro e a mulher cuida da casa e dos filhos. Essa composição não é necessariamente ruim, mas pré-estabelecida dessa forma tira da mulher a liberdade de escolha e o feminismo preza por essa liberdade. A perpetuação dessa condição trouxe uma alienação social do feminino, as mulheres caíram em certo ostracismo político e não possuíram papéis ativos nas escolhas políticas, econômicas e sociais.
O processo emancipatório da mulher, e logo o processo de desestruturação do patriarcado, existe graças ao feminismo. Com o passar dos anos o movimento feminista ganhou diferentes reivindicações e conquistas. O movimento evoluiu com o tempo e passou por varias gerações, as quais são chamadas de ondas. As ondas feministas são momentos históricos onde há movimentos organizados que culminam em avanços na libertação das mulheres.

Bibliografia

https://medium.com/qg-feminista/o-que-são-as-ondas-do-feminismo-eeed092dae3a

https://www.migalhas.com.br/Quentes/17,MI314577,21048-Movimento+feminista+colaborou+para+degradacao+moral+que+vivemos+diz

http://unisinos.br/blogs/ndh/2013/09/09/reflexao-sobre-a-naturalizacao-do-machismo/

https://www.bbc.com/portuguese/brasil-36522791

https://www.bbc.co.uk/programmes/p04jqs44

https://www.bbc.co.uk/programmes/p04jdc92

https://www.wnyc.org/story/taboo-feminism/

https://www.youtube.com/channel/UCeHsKGNUFp9kzPAg7Dvp5zQ/videos

https://www.freshminds.co.uk/jobs/fixed-term-contract

Texto por Maria Antonia De Carli

Últimos posts por Maria Antonia De Carli (exibir todos)

Uma Comentário para “A palavra FEMINISMO”

  1. Maria Adriana da Silva Caldas em 26 de janeiro de 2020 @ 04:05

    Muito bom artigo! Tanto na sua forma quanto no seu conteúdo informativo e esclarecedor. Parabéns à redatora!

Deixe seu Comentário

×