Ano novo, vida nova:Saiba como estudar em uma universidade britânica

Destaque Mais Lidas, Destaque Principal, Economia/Política, Fique por dentro, Mais Lidas, Utilidade Pública 8 de janeiro de 2020

Qualificações brasileiras e acesso a universidades britânicas

Se você incluiu na lista de metas para o Ano Novo “estudar em uma universidade britânica em 2020” saiba que esse texto foi escrito para você (yes!). Desde 2014, quando comecei a me especilizar em Educação Superior no Reino Unido, conheci muita gente que adiou por anos o sonho de estudar no Reino Unido por pura falta de informação. Quem estuda adquire conhecimento específico, amplia a rede de contatos no país e no exterior, além de aumentar bastante as chances de sucesso profissional. Nesse meu texto de estreia, resumo informações e respostas para as principais dúvidas que chegaram a mim nos últimos anos. Vamos lá:
1 – Por onde devo começar?
Graduação

Tudo depende do curso que você tem vontade de estudar e das suas qualificações acadêmicas. Se a sua qualificação acadêmica mais alta for, por exemplo, o Ensino Médio no Brasil, você deve fazer antes um curso de Foundation antes de começar a graduação em si. Cursos de Foundation funcionam como uma “ponte” entre a qualificação de um estudante internacional (por exemplo, o Ensino Médio) e o primeiro ano de graduação no Reino Unido e geralmente duram um ano. Cursos de Foundation geralmente combinam disciplinas específicas relacionadas à graduação desejada (por exemplo Foundation em Artes, em Negócios, em Biologia) ao inglês acadêmico. Ou seja, além de aprenderem disciplinas essenciais à carreira universitária escolhida, os alunos também aprendem como escrever textos e fazer pesquisas acadêmicas em inglês. Depois de aprovado no curso de Foundation, o estudante segue, então, para o primeiro ano de graduação no Reino Unido. A maioria das graduações dura três anos.
Vale lembrar que candidatos que tenham completado um ano de graduação no Brasil geralmente são aceitos por universidades britânicas sem a necessidade de cursar Foundation.
Pós-graduação e mestrados

Mestrados e/ou cursos de pós-graduação são geralmente boas portas de entrada para o mercado de trabalho no Reino Unido ou para melhores oportunidades de trabalho em nível internacional. Quem faz pós-graduação também entra em contato com professores, pesquisadores e especialistas, e acaba ampliando a sua rede de contatos (essa, aliás, é uma das principais vantagens de cursos de pós-graduação, na minha opinião).
Universidades britânicas são geralmente mais abertas que universidades brasileiras no que se refere ao processo seletivo de candidatos e levam bastante em consideração a experiência profissional e os planos de carreira do candidato. Ou seja, se você, por exemplo é um profissional da comunicação com interesse ou experiência em questões de gênero, é bem possível que você se candidate e seja selecionado para um mestrado na área de Gender Studies. Para cursos que exigem conhecimento técnico/científico bastante específico (por exemplo, Medicina, Odontologia, Engenharia), é provável que os pré-requisitos de entrada incluam um diploma universitário na mesma área de estudos.
2 – Tenho que fazer vestibular? De quais documentos eu preciso?

Universidades britânicas selecionam candidatos a cursos de graduação através de uma plataforma eletrônica integrada unificada chamada UCAS (Universities and Colleges Admissions Service, em inglês), que pode ser acessada através do link: https://www.ucas.com/ Candidatos podem escolher até 5 opções de cursos de graduação por meio do UCAS e a taxa de candidatura, paga diretamente através da página, é de 25 libras esterlinas. Muitas universidades oferecem cursos de graduação de quatro anos que incluem o ano de Foundation. Portanto, se você precisa do curso preparatório, digite Foundation no campo de busca da página do UCAS para ter acesso às opções de programas na sua área de interesse.
Super importante!
O primeiro deadine para candidaturas a graduação e Foundation enviadas através da plataforma UCAS é dia 15 de Janeiro às 18 horas (horário britânico), mas as universidades continuam aceitando aplicações depois da data. Quanto antes você mandar a sua, melhor, já que cursos mais concorridos tendem a ter vagas esgotadas mais rapidamente.
Para candidatos a cursos de mestrado, o melhor caminho é pesquisar cursos diretamente nas páginas das universidades e enviar a sua candidatura através dessas páginas. Via de regra, as informações e documentos exigidos dos candidatos internacionais são:
Foundation e Graduação:
– Cópia do documento de identificação (geralmente passaporte)
– Personal Statement (ou carta de apresentação – para mais informações sobre como escrever a sua, leia (https://www.ucas.com/undergraduate/applying-university/how-write-ucas-undergraduate-personal-statement)
– Certificado de Conclusão do Ensino Médio e Histórico Escolar traduzidos oficialmente para o inglês (no Reino Unido, a tradução oficial é chamada de Certified Translation) ou Histórico Escolar do primeiro ano de Bacharelado completo (para os que não precisam de Foundation).
– Certificado de nível de inglês reconhecido pela universidade (um bom exemplo é o IELTS Academic. A notas exigidas variam de acordo com as universidades, mas geralmente fica entre 5.5 e 6.5)
– Uma referência profissional e ou acadêmica incluída na sua ficha de apliação preenchida via UCAS.
Importante: Cursos em áreas criativas como Moda, Artes Plásticas ou Arquitetura geralmente exigem apresentação de um portifólio, depois de o candidato passar pelo primeiro filtro de seleção.

Toda a documentação citada acima, além de:
– Uma segunda carta de referência, ou seja, duas no total (geralmente, uma delas precisa ser acadêmica) – traduzidas oficialmente ou escritas originalmente em inglês.
– CV
Importante: O nível de inglês exigido de candidatos de mestrado é mais alto e a nota mínima no IELTS Academic requisitado pelas universidades é de geralmente 6,5 podendo chegar a 7,5 – 8,0 dependendo do curso e da instituição de ensino.
Espero que as informações sejam úteis e que ajudem quem planeja estudar este ano. Um Feliz Ano Novo para vocês!
A seguir…

No próximo texto, escreverei sobre como conciliar traballho e estudos. Até a próxima!

Texto por Veridiana Ribeiro

 

Veridiana Ribeiro

Deixe seu Comentário

×