Produtividade inteligente: Um novo jeito de ter realização e felicidade profissional.

Cotidiano, Destaque Mais Lidas, Destaque Principal, Entretenimento, Fique por dentro, Mais Lidas, Não categorizado, Sem categoria, Utilidade Pública 9 de novembro de 2019

Passamos mais tempo nas relações de trabalho do que em qualquer outra relação na vida.
Mas muitos de nós ainda acreditam que a vida pessoal e a profissional estão separadas em algum lugar. Cada vez mais os estudos comprovam que não existe essa separação. E nem poderia existir, já que somos um ser único, vivendo seus diversos papéis em diferentes ambientes e situações, mas com uma essência única. Inclusive essa conclusão tem trazido subsídios para o desenvolvimento de práticas e medidas dentro das empresas, buscando uma integração do profissional e de sua essência, aos interesses e necessidades do negócio.
Entretanto, as pesquisas nos informam que 70% dos brasileiros se sentem insatisfeitos na sua relação de trabalho. Seja por causa da remuneração, seja por falta do reconhecimento, seja por excesso de tarefas ou, e principalmente, pela perda do significado em relação ao trabalho que desempenham.
O que vou falar aqui é sobre produtividade, porém estou trazendo uma visão diferente da grande maioria que você já viu. Vou te apresentar como você pode desenvolver algo que vai te ajudar a ter realização e felicidade na sua vida e no seu trabalho. Acredite, ser produtivo não precisa ser pesado e exigir que você se robotize apenas repetindo técnicas, ou seguindo o passo a passo de um aplicativo que não respeita quem você é de verdade. E quero te adiantar que ficará surpreso em como é simples e real ao mesmo tempo, mesmo não sendo fácil.
Vou te mostrar uma ciência que traz estratégias que já são usadas no mundo todo e ainda pouco conhecidas no Brasil, que forma a base do conceito de Produtividade Inteligente que eu proponho pra você.
Sabemos que o mercado de trabalho está cada vez mais exigente e seletivo; somos cobrados a produzir sempre mais e ainda manter níveis de energia lá no alto, resultados e prazos melhores do que o previsto e ainda ter boa saúde e relacionamento familiar. Um bom profissional está sempre buscando melhorar em alguma coisa e super dedicado a se destacar na sua área de atuação, certo?
Errado! Profissionais bem-sucedidos conseguem gerir a sua carreira fazendo escolhas que sejam mais adequadas em relação aos seus objetivos e seu propósito. Conhece bem suas forças e aplica o que tem de melhor para se destacar dos demais, agregando valor ao seu trabalho. Para ele, sua alta performance acontece acompanhada de muita energia, motivação e sentimento de realização. Um bom profissional está engajado e realiza as tarefas de seu cotidiano com uma boa pitada de alegria, gerando resultados ainda maiores que o esperado.
O Instituto Gallup, centro de pesquisas norte americano que desenvolve pesquisas ao redor de todo o mundo, estudou por cerca de 10 anos, entrevistando mais de 1,4 milhões de pessoas, os motivos que tornam uma equipe ou empresa mais produtiva que a outra, nas mesmas circunstâncias físicas (inclusive localização geográfica), com mesmos recursos, mesmo formato de remuneração e treinamentos, vendendo mesmos produtos para mesmo nicho de clientes. Ficou claro que aqueles que geram os melhores resultados têm algumas coisas em comum, como: bons relacionamentos no trabalho, sentimento de estar se desenvolvendo e senso de missão e propósito.
Eles também encontraram uma questão muito clara e efetiva que predestinava uma alta performance ou baixa performance: Você tem a oportunidade de usar suas forças, todos os dias, no seu trabalho? Aqueles que responderam que sim, são consistentemente mais produtivos do que os que não têm chance de usar suas forças no trabalho.
O que chamamos de forças pessoais pode ser entendido basicamente como a união de seus talentos e as características positivas de sua personalidade, as forças de caráter, com seus interesses e recursos externos.Com base na Psicologia Positiva, podemos afirmar que conhecer e focar seu desenvolvimento no uso de suas forças é parte fundamental no caminho para realização pessoal e profissional.
Agora voltando ao termo produtividade, sabemos que nasceu no século 18 com um sentido de capacidade para produzir; mas somente em 1950, a Comunidade Econômica Europeia definiu, formalmente, o conceito de produtividade como sendo o “quociente obtido pela divisão do produzido por um dos fatores de produção”.
Produtividade então passa a ser associada à eficiência e tempo gasto pra produzir. Desde então, o grau de produtividade de um agente econômico (pessoa, empresa, país, etc.) passou a ser um indicador do seu nível de eficiência e eficácia, tornando-se uma medida relevante para aferir sua performance.
E no senso comum ficou bem assim mesmo: produtividade é fazer mais coisas em menos tempo, ou seja, quanto menor for o tempo levado para obter o resultado que você pretende, mais produtivo será. Entende-se que nível de produtividade é a expressão da eficiência de uma pessoa ou negócio; mas para ser usado como o principal indicador da performance de um indivíduo, como podemos identificá-lo na prática? O que vamos ver a seguir é exatamente um panorama de como essa tão falada produtividade se apresenta na realidade da maioria de nós, e quais os efeitos de uma busca desenfreada por ela.

Texto de Liluani de Paula

Liluani de Paula

Psicóloga com experiência em Gestão de Pessoas, Analista comportamental DISC, e Professional Coach certificada pela SLAC - Sociedade Latino Americana de Coaching e reconhecida pela International Association of Coaching.

Fundadora do Movimento Viva com Propósito, e criadora do Programa Potencial em Ação, com base na Psicologia Positiva, onde ajudo as pessoas a identificar, aprender a usar e desenvolver seu Potencial para realizar seus objetivos de vida.

Minha missão é ajudar você a reconhecer e desenvolver seu potencial natural, ter autoconfiança e viver com alegria genuína!

Últimos posts por Liluani de Paula (exibir todos)

Deixe seu Comentário

×