Grupo Mulheres do Brasil lança Núcleo de Londres com mais de 300 pessoas

Cotidiano, Economia/Política, Fique por dentro, Mais Lidas, Utilidade Pública 22 de outubro de 2019

*Texto enviado pela jornalista correspondente em Londres, Yula Rocha

“Nunca duvide da capacidade de um grupo pequeno, cheio de ideias e comprometido em mudar o mundo”

Foi com esta frase da antropóloga americana Margaret Mead, que o professor Gareth Jones, diretor do Centro para América Latina e Caribe (LACC), da London School of Economics (LSE), em Londres, abriu o palco da nossa noite de lançamento. No mesmo espírito do Grupo Mulheres do Brasil, que começou com apenas 40 mulheres ambiciosas por mudança em São Paulo, há seis anos, e hoje conta com 36 mil pelo mundo e continua sua expansão.

A convidada especial da noite, uma das mais respeitadas cantoras líricas, a brasileira Gabriella di Laccio também saiu em defesa do empoderamento das mulheres. Antes de cantar, ela dividiu com a plateia seu projeto pessoal “Donne – Women in Music”, que visa resgatar a história das mulheres na música, a imensa maioria delas desconhecida do público.  Já são seis mil mulheres catalogadas que atuaram como cantoras ou musicistas, desde o século XI aos dias de hoje.

“Mais importante que minha voz, é dar voz à outras mulheres”, disse Gabriella. Ela nos presenteou prestando uma homenagem à brasileira Chiquinha Gonzaga (1847-1935), que fazia aniversário justamente no dia do lançamento do Núcleo Londres, em 17 de outubro.

À capela e sem microfone, a soprano cantou “Lua Branca” e fez muita gente chorar, de um  auditório praticamente lotado. Foi ovacionada de pé.

As líderes do Grupo Mulheres do Brasil Núcleo Londres, Daniela Barone Soares, Maria Antonia de Carli e Camila Kern, convidaram as mulheres da plateia a se juntarem ao Núcleo – que hoje já conta com mais de 350 participantes cadastradas. Desde a sua criação, há cerca de um ano ao lançamento oficial, o Núcleo promoveu muitas ações nas áreas de empreendedorismo (palestra de especialistas e facilitação para abertura de negócios), cultura (visita a museus e exibição de filmes), saúde e bem-estar (sessão mensal de meditação) violência contra a mulher (conversa sobre leis e direitos das mulheres em caso de abuso). Com mais mulheres engajadas às causas, o Núcleo é capaz de muito mais e, durante a semana do evento de lançamento, houve a sinalização de apoio de potenciais colaboradores às nossas causas.

Coube a Lilian Leandro, diretora de expansão e líder do Comitê Expansão, apresentar a estrutura do Grupo Mulheres do Brasil e a mensagem institucional de uma organização suprapartidária, apolítica e a favor das mulheres. Ela falou sobre três premissas: a “cola”- ou o que nos leva a trabalhar juntas, a persistência em correr atrás e a plenitude de ver os resultados pelo bem comum.  Lilian e as madrinhas do núcleo Margaret Groff e Renata Ramalhosa, ajudaram no nascimento deste projeto na capital Britânica e que a partir de agora alça voos solos.

Mas, para começar a voar era preciso o “batismo” de Luiza Helena Trajano, presidente do Grupo Mulheres do Brasil, que cumpriu uma agenda intensa de compromissos em Londres, acompanhada de 25 mulheres de todo o Brasil que vieram na comitiva.

Com imensa capacidade de se conectar com o público por sua simplicidade, história de vida e executiva sempre à frente de seu tempo, Luiza arrancou aplausos ao defender o sistema de cotas para mulheres no mercado de trabalho, negros e deficientes. Ela também apoia o programa bolsa-família como forma de reduzir a imensa desigualdade no Brasil. “Só vamos reduzir violência, por exemplo, quando dermos emprego”, disse a empresária.

https://noticias.grupomulheresdobrasil.org.br/inglaterra-londres/lancamento-nucleo-londres-reune-mais-de-300-pessoas/?fbclid=IwAR2m0tMJm-vEzbwa0TOyr6F3kHDKZmVb1or_XWstPgqW0sOawq6EW8NSTkM

Para quem quiser unir se a nos, entre no site www.grupomulheresdobrasil.org.br, se cadastrar e recebera um email para se registrar no workplace e mãos a obra.

 

 

 

Deixe seu Comentário

×