Precisamos falar sobre Suicídio

Cotidiano, Fique por dentro, Mais Lidas, Utilidade Pública 13 de setembro de 2019

 

“Minha dor é tão grande que a única saída é deixar de existir. Deixar de sentir, de pensar, de respirar”.   

Hoje se comemora o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.  De acordo com estatísticas coletadas pelo Samaritans, mais de 800.000 pessoas no mundo cometem suicídio a cada ano. No Reino Unido e República da Irlanda houveram mais de 6.000 casos em 2017, sendo o maior índice cometidos por homens na faxia de 25-34 e 45-49 anos de idade. Falar sobre suicídio ainda é um tabu nos meios sociais, em nossas relações mais íntimas e até mesmo entre os profissionais da saúde. Muitas vezes acham que se falarmos ou perguntarmos sobre o tema, vamos estar colocando estes pensamentos na cabeça das pessoas, criando assim um problema que não existia. Mas este entendimento não é correto e não previne o mal. O que pode prevenir é exatamente o oposto – falarmos abertamente sobre o suicídio. Estarmos disponíveis para ouvir sem julgamento ou tentarmos resgatar a pessoa que está sofrendo. Para isso, precisamos lidar com nossos próprios medos e ansiedades que este tema nos gera.  

É difícil saber ao certo o que leva uma pessoa a pensar em tirar sua própria vida, mas as causas mais comuns seriam: doenças mentais, como depressão, distúrbio bipolar e esquisofrenia; experiências traumáticas, como abuso sexual infantil, violência doméstica, vítimas de conflito, guerra; abuso de drogas e álcool; desemprego; isolamento social e solidão; problemas de relacionamentos; perdas e luto; problemas financeiros; bullying e cyber bullying para as gerações mais jovens, entre outras.  Como vemos, todos nós podemos potencialmente ser afetados por essas questões no decorrer da vida. E nós,  como imigrantes morando longe da terra mãe e sem o apoio de familiares e amigos, somos ainda mais propensos aos vários fatores descritos acima. Portanto, não devemos temer uma conversa franca sobre o suicídio. Poder falar abertamente será, na verdade, um alívio.                      

Daniela Lourenço é Psicóloga e Psicoterapeuta, residindo no Reino Unido há mais de 20 anos.
dlourencopsychotherapy@yahoo.com

www.dlourencopsychotherapy.com 

Enderecos uteis https://www.samaritans.org

https://www.iasp.info

http://www.supportline.org.uk/problems/suicide.php

 

Deixe seu Comentário

×