Você sabia que o Brasil é o país mais depressivo da América Latina?

Cotidiano, Fique por dentro, Utilidade Pública 23 de julho de 2019

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), existe hoje, no mundo, cerca de 320 milhões de pessoas sofrendo com a depressão, e uma grande porcentagem destas pessoas  (11 milhões) vivem no Brasil. Assustador não é?

Mas porque a população está sendo afetada tão fortemente por este mal?  De onde pode estar vindo esta doença?

Recentemente, já se fala que muitas condições chamadas “psicológicas” são na verdade patológicas.

De acordo com o médico americano, Dr. Robby Mitchell, a tomografia computadorizada por emissão de fóton único, mais conhecida como SPECT está mudando este paradigma.

Os exames de SPECT estão apontando que doenças como a depressão endógena (de origem interna, biológica), são originárias por uma inflamação no cérebro.  Quando tratamentos que diminuem esta inflamação são administrados, a depressão vai embora.

Leia também:

Basicamente, as doenças aparecem porque o nosso corpo está tentando nos alertar que existe algo em desequilíbrio em nosso corpo. No caso da depressão (endógena) não é diferente.

* Falta de nutrição adequada: Sem uma nutrição adequada, o corpo envia sinais de que algo está errado e que a mudança é necessária. Depressão é um desses sinais. O sinal que o corpo está tenta comunicar não é que ele precise de mais medicação, mas sim, que cuidados com a nutrição é necessário imediatamente. A dieta alcalina, por exemplo, é um dos tratamentos utilizados pelo Dr. Robby Mitchell para diminuir a inflamação no cérebro e consequentemente diminuir a depressão.

* Falta de sono: a falta de sono adequado pode desencadear desequilíbrios hormonais que são associados a depressão.

* Toxinas: novamente a depressão é um sinal gerado pelo próprio corpo, querendo sinalizar ao dono do corpo que algumas mudanças são necessárias. As toxinas geram esses sinais muito rapidamente. Quanto mais tóxico for corpo físico, maiores serão os sinais da depressão. Toxinas são encontradas em produtos de higiene pessoal, alimentos, flúor na água, nos próprios medicamentos, no álcool, no fumo e até as obturações de amálgamas, as toxinas aceleram a morte e o corpo sabe disso.

* Magnésio: O magnésio é um dos minerais mais incríveis que conhecemos e as pesquisas mostram que ele ajuda a tratar a depressão.

* Exercício: Aqueles que não se exercitam têm uma probabilidade 44% maior de ficar deprimido em comparação com aqueles que o fazem por pelo menos uma a duas horas por semana.

* Folato e B12: Vitamina B-12 e outras vitaminas do complexo B desempenham um papel na produção de substâncias químicas cerebrais que afetam o humor e outras funções cerebrais. Baixos níveis de B-12 e outras vitaminas do complexo B, como vitamina B-6 e folato, estão ligados à depressão.

* Iodo: A deficiência de iodo pode ser um grande problema porque o iodo é crítico para a que a tireóide possa funcionar como deveria. A tireóide afeta: o nível de energia, o metabolismo, a temperatura corporal, o crescimento, a função imunológica e o desempenho cerebral (concentração, memória e muito mais). Então, quando a tireóide não está funcionando corretamente, você pode se sentir muito deprimido, entre outras coisas.

* Vitamina D: Alguns dos receptores do cérebro são receptores de vitamina D, o que significa que a vitamina D está agindo de alguma forma no cérebro. Esses receptores são encontrados nas áreas do cérebro que estão ligadas ao desenvolvimento da depressão. Por esse motivo, a vitamina D tem sido associada à depressão e a outros problemas de saúde mental.

* Flora Intestinal: trilhões de micróbios benéficos vivem dentro do nosso trato gastrointestinal. Quando uma ameaça é sentida no intestino, ocorre uma inflamação grande e de longo alcance. Esta inflamação pode viajar diretamente do seu intestino para o cérebro, especialmente através do nervo vago.

* Respiração: Quando inspiramos, ativamos o sistema nervoso simpático. Quando expiramos, nos envolvemos com o sistema nervoso parassimpático. Nós relaxamos e temos a sensação de deixar ir. Portanto, se continuarmos por 5 ou 10 minutos com um padrão de respiração mais longa do que o normal, ficamos mais relaxados e automaticamente mais equilibrados emocionante.

No geral,  acreditamos que pessoas com depressão e ansiedade, etc, sofrem com algum tipo de desequilíbrio emocional. E por este motivo o estigma e a descriminação são tão reais para pessoas que sofrem com esta condição.

Esta crença popular de que a depressão é um desequilíbrio emocional, tem a sua verdade, pois a depressão exógena, diferente da depressão endógena, é acusada por fatores ambientais externos que acabam gerando um desequilíbrio emocional. Em outras palavras, fatores externos como, morte de um ente querido, stress agudo, divórcio, dificuldades no ambiente de trabalho ou familiar, situações adversas, etc, podem ser causadores de um desequilíbrio emocional e desencadear a depressão exógena.

Nestes casos, medicamentos para a depressão não fazem efeito algum, talvez apenas te deixe em um estado de apatia, mas o problema continuará. E este pode ser o motivo pelo qual, de 30% a 60% dos pacientes não respondem aos tratamentos antidepressivos disponíveis (Krishnan & Nestler, 2008). Em outras palavras, 30% a 60% dos pacientes não são ajudados pelos tratamentos alopáticos existentes, e além disso sofrem com os fortes efeitos colaterais dos remédios psiquiátricos.

Aqui vai então o grande segredo: para curar, isso mesmo, CURAR a depressão exógena, a psicoterapia é o melhor e mais eficaz “remédio”!

 

 

 

 

Gi x é colunista do Portallondres.
Imagem: triste – deprimido – by Pixabay

Gi Stradioto

Eu sou a Gi Stradioto.

Eu ajudo mulheres a quebrar bloqueios mentais e a ativarem sua melhor versão.

Sou psicóloga, formada na Universidade Metropolitana de Londres, prestadora de serviço para o departamento de saúde mental do Serviço Nacional de Saúde (em inglês: National Health Service - NHS),com especialização em Terapia Cognitiva Comportamental, Transtornos de Personalidade, Terapia de Grupo, Psicologia Simbólica Junguiana, Intuição, Terapias Energéticas e Meditação.

Sou Membro da Sociedade Britânica de Psicologia (BPS) e do Colégio Internacional de Medicina Holística (ICHM).

Uma Comentário para “Você sabia que o Brasil é o país mais depressivo da América Latina?”

  1. Maria Aparecida Calado Petronilho em 27 de julho de 2019 @ 02:28

    Gi Stradioto gostaria muito de receber sua ajuda,
    para me instruir o que preciso mudar para me tornar uma mulher determinada.
    Obrigada. Beijos mi

Deixe seu Comentário

×